quarta-feira, 9 de junho de 2010

Árvores altas

"O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, 
E ao mesmo tempo gostar de ir vendo tudo...
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.
Se a não vejo, imagino-a e sou forte 
como as árvores altas!"
Alberto Caeiro


"O que eu sou hoje é como a umidade 
no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes…
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo

 como um fósforo frio…

Comer o passado como pão de fome,
 sem tempo de manteiga nos dentes!"
Álvaro de Campos-1929
Bonjour!

Um comentário:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

O passado gosta de ser engolido inteiro.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails